As cartas para Eva


E-mail this post



Remember me (?)



All personal information that you provide here will be governed by the Privacy Policy of Blogger.com. More...





Eva

A nossa tarde de ontem não me sai da cabeça. Tinha que te escrever. Recordo-a passo a passo:

Os lençóis da cama revoltos, cheios da nossa transpiração. Tu debaixo de mim. Sentindo o prazer divino de uma penetração há muito esperada e, por fim, feita realidade. Gosto dos teus gemidos, dos teus ruídos, dos teus gritos e suspiros. Sabes bem como me escita fazer-te gritar. Sabes como adoro as tuas expressões de prazer, os teus sorrisos momentâneos quando faço algum movimento que te agrada e sinto os teus olhos cheios de malícia, pedindo mais e mais. Desfruto-te vendo-nos nos espelhos do quarto, vendo como nos unimos a cada movimento.

Mudamos de posição, agora tu em cima de mim, como tanto gostas, porque podes sentir-me completamente dentro de ti e podes controlar a intensidade e movimentos. Gostas de ter o controle e a mim encanta-me que o tenhas. Começo a ver como os teus olhos denunciam o prazer que sentes, eu desfruto dos teus seios e mamilos erectos enquanto tu desfrutas de mim. Sinto a tua humidade correndo pelas minhas pernas, sei que estás deliciosamente excitada.

Volto-me novamente para o espelho que está atrás de ti, para ver como te penetro e como arqueias as costas como sinal de êxtase. Arranhas-me o peito com força. Sabes que gosto que o faças. Chegamos ambos ao prazer, com gritos de intensa alegria. As tuas unhas enterram-se na minha pele. Dói mas eu gosto.

Terminamos contigo encostada ao meu peito, escutando as rápidas batidas do meu coração. Eu abraçando-te com força, sentindo a tua pele onde deve sempre estar: encostada a mim.

Os nossos telemóveis começam a tocar, todos nos procuram. Atendemos rapidamente com uma desculpa qualquer para que nos deixem em paz, para continuar a nos desfrutarmos. Acabo de falar primeiro e começo a fazer uma maldade que ambos gostamos. Enquanto falas, baixo lentamente até ao teu clitóris e começo a beijá-lo, a lambê-lo e a mordiscá-lo. Acho delicioso ver como mordes os lábios para conter os gemidos para que a pessoa com quem falas não se aperceba do prazer que estás sentindo. Faço-o com mais intensidade, escapa-se-te um gemido, rapidamente inventas uma desculpa, vez como sorrio. Adoro os teus olhos marotos quando me olhas.

Do sempre teu


7 Responses to “As cartas para Eva”

  1. Anonymous Espanhol 

    é sempre tão bom recebermos uma carta de amor.... ;)

  2. Anonymous São Rosas 

    Que bom, passar um Dia da Mulher bem molhadinho... por dentro... hmmm...

  3. Anonymous O Engenheiro 

    Gostei ;)
    *

  4. Anonymous Eva Luna 

    São todos uns queridos. Beijinhos

  5. Anonymous CHE 

    também adoro degustar o clitóris enquanto ela fala ao telefone...uiiiii

  6. Anonymous CHE 

    -Os teus lábios sabem a suco de laranja com saliva de Mulher, suco agridoce como se deseja a pele – disse-te calmamente no lobby do hotel em Marraquexe. Os teus olhos devoravam-me de alto a baixo. Ainda estava fresca as marcas dos nossos desvarios por entre a brisa da noite que trazia tremulentas as orações dos minaretes lá ao longe. E tremulas estavam as tuas coxas abertas onde poisava o meu corpo bronzeado e musculado da dura aventura no deserto de Merzuga. Quando cedeste ao cansaço tirei de um saquinho a fina e dourada areia do deserto e como uma ampulheta deixei-a escorrer até o teu umbigo que se movia suavemente na tua respiração…Aquele instante juntou o espaço, o desejo, e o tempo, tudo num só ao arrepio dos meus poros em deleite.

  7. Anonymous Eva Luna 

    Ai, Che, deixaste toda molhadinha. Ainda bem que não és o Guevara, que esse não diria coisas tão lindas. Um beijo apaixonado

Leave a Reply

      Convert to boldConvert to italicConvert to link

 


About me

Previous posts

Archives

Amores