Lido

1 comments


Foto de Torsten Brandt

Ensina às minhas mãos
o caminho do teu corpo

Faz com que subam
às pequenas colinas
onde a luz indecisa
se demora pela manhã


António José Queirós


+ ou -

0 comments



- Gosto desse decote. És linda!
- Sou como outra qualquer.
- Para mim és especial.
- Dizem todos o mesmo.
- Antes de mim não tiveste relações boas?
- Mais ou menos.
- O que aconteceu a essas?
- Aborreci-me.

Eva Luna


Aviso

1 comments



Prepara-te...

Na próxima vez,
vendarei os teus olhos,
atarei as tuas mãos e
tirarás as minhas cuecas com a boca...

Depois
portar-me-ei muito mal contigo,
serei perversa, amor,

porque é o que desejas...

Eva Luna


Voyeurismo

1 comments


Os olhos e a boca de Olivier Martinez

Te olho
me molho


SMS

0 comments



Tenho dois caprichos há muito desejados.

Eva Luna


Beijo

4 comments



Gosto de me perder no beijo, esse
que trocamos enquanto irrompe o orgasmo,
gozar com a tua língua perdida na minha boca,
momento quase desesperado
em que pareces perder todo o alento...

Sentir...
tuas mãos perplexas,
tua respiração agitada,
meus gemidos,
teus sussurros...
minhas palavras de amor,
minhas,
tuas,
sensações...

...a nossa particular teia de desejos.

Eva Luna


A cozinheira

3 comments



Sou mestra na culinária,
tenho terra para cavar,
gosto sempre de apalpar
se a enxada é mole ou dura.
Ser amiga da verdura
não são nenhuns disparates;
enchi alguns açafates
de tomateiros de cama,
depois de apalpar a rama
fui apalpar os tomates.
(...)

António Maria Eusébio (O Calafate), Setúbal, n. 1820


O nosso mistério

3 comments



Nossos corpos suados, quase exaustos depois do fragor do enlace, húmidos ainda, suaves, macios e serenos, como altares para a cerimónia de glorificação de um deus, pagão e formoso, cheio de um mistério que nem os iniciados conseguem vislumbrar.
:
Eva Luna


Assim que te despes

0 comments


Foto de Pawel Sujecki

Assim que te despes
David Mourão-Ferreira
in Corpo Iluminado XX

Assim que te despes
As próprias cortinas
Ficam boquiabertas
Sobre a luz do dia

Os teus olhos pedem
Mas boca exige
Que te inunde as pernas
Toda a luz do dia

Até o teu sexo
Que negro citila
Mais e mais desperta
Para a luz do dia

E a noite percebe
Ao ver-te despido
O grande mistério
Que há na luz do dia

David Mourão-Ferreira nasceu no dia 24 de Fevereiro de 1927


Adão e Eva

0 comments



Às vezes... gostaria de ser um homem!
Saber o que sente. Saber como sentem.

Sentir como nos vêm.


Eva Luna


Gostei!

10 comments



Hoje, num dos elevadores do Corte Inglês, alguém confundiu o meu cu com uma pêra... e apalpou. Gostei!


Bombocas

1 comments

Vou deixar de chupar bombocas.
Não quero ficar uma baleia...
:


Carta d'amor

1 comments



«Adoro-te minha gata de Janeiro meu amor minha gazela meu miosótis minha estrela aldebaran minha amante minha Via Láctea minha filha minha mãe minha esposa minha margarida meu gerânio minha princesa aristocrática minha preta minha branca minha chinezinha minha Paulina Bonaparte minha história de fadas minha Ariana minha heroína de Racine minha ternura meu gosto de luar meu Paris...»

António Lobo Antunes em "Cartas de Guerra"


Ausência

3 comments


Foto de Thomas Kreyn

- Atraiçoas o teu marido. Porquê?
- Tenho que responder?
- Posso esperar. Mas preferia saber já.
- Então fecha os olhos e afaga-me.
- Sim... Estás aqui.
- Com ele não estou.


Eva Luna


É pró LuLu

3 comments




A posição "à canzana" (canzana é a posição sexual em que a mulher é penetrada por trás pelo seu parceiro, ou algum objecto sexual. O parceiro pode ser tanto vegetal como animal, homem ou pepino - Wikipédia) consola as pessoas que simpatizam com a promiscuidade e descaramento da espécie canina.
:
Para salvar as aparências a quem sonha com estas práticas, um fabricante norte-americano tem à venda camisinhas para cão, em três tamanhos, adaptados aos usuários de quatro patas.
:
O imprescindível contacto das mãos com o "pipi" do animal dá um encanto muito especial a esta inovadora solução profiláctica.
:
As camisinhas podem ser compradas aqui.


Adão e Eva

1 comments

O cubismo é uma titânica reflexão intelectual e visual sobre a forma.
Clica na imagem e verás uma foda cubista.



Deuses e Veados

2 comments


Foto de Ivan Pinkava


A cortina ergue-se: deparamos com Júpiter que tem Ganimedes sobre os joelhos. Hermes dorme.

Júpiter - Vem, gentil Ganimedes, brincar comigo. Adoro-te, diga Juno que disser.

Ganimedes - Passo bem sem o vosso indigno amor que não me protege dos golpes da megera. Hoje, enquanto vos enchia a taça e enquanto vós bebieis, ela agrediu-me de tal forma que até sangrei dos ouvidos.

Júpiter - O quê? Ela atreve-se a agredir o querido dos meus pensamentos? Pela alma de Saturno. Juro-te que se ela te volta a agredir, penduro-a como a um meteoro entre céu e terra, como já fiz uma vez para castigar Hércules.

Ganimedes - Quem me dera assistir a esse espectáculo! E como haveria de me rir com o irmão de Helena! E invocaria os deuses para que assistissem! Gentil Júpiter, se alguma vez te agradei ou se me achaste belo, encerrado nas asas da águia, concede esta graça à minha beleza eterna e passarei o meu tempo nos teus magníficos braços.

Júpiter - Que posso eu, meu adorado, recusar à tua juventude? A tua figura reflecte uma tal ternura aos meus olhos! Senta-te sobre os meus joelhos e pede o que quiseres. Torna-te dono do destino e corta o fio do tempo. Porque razão não estão todos os deuses às tuas ordens? E por que não são o céu e a terra os limites do teu prazer? Toma, meu amor, estas jóias. A minha Juno usou-as no dia do casamento. Coloca-as à volta do pescoço, meu doce coração e enfeita os teus ombros e braços com o produto do meu roubo.

Ganimedes - Eu queria uns brincos e um belo alfinete para colocar no meu chapéu e então lançar-me-ei nos teus braços uma centena de vezes.

Júpiter - Terás tudo o que quiseres, Ganimedes, se me souberes amar de verdade.

Christopher Marlowe (Didon, Raínha de Cartago)

Dedicado a todas as Renas e Veados deste mundo.


Voyeurismo

2 comments


Olhos, boca e barba de Russel Crowe
:
:
Te olho
me molho
:
Leila Míccolis


Manual de Instruções da Eva

2 comments


:
:
1º Nunca fales mal de uma relação passada na minha presença, nem das mulheres em geral.

2º Não me interessa nada o número de pessoas que já passaram pela tua cama e jamais tentes saber as que passaram pela minha. Muito menos quero saber se és um fracassado e que não tens nenhum êxito com o sexo oposto.

3º Não tentes aparentar ser algo que não és para me impressionar. Surpreendem-me coisas que jamais suspeitarias.

4º Pede o que desejas e diz-me o que pensas. Nunca me ruborizo.

5º Os ciúmes, as mentiras e os enredos deixamos para as telenovelas.

O ideal seria que todos os que me aparecessem tivessem também o seu próprio manual de instruções. Tudo seria muito mais fácil.

:
Eva Luna


Histoire de Ô

0 comments


Fragância de vulva

0 comments



Um laboratório alemão vende a fragância natural da nossa fenda feminina, num elegante frasco de penetrante conteúdo e excitante denominação : Vulva Original.

Garantem que a euforia libertada pelo sucedâneo produz um desejo irreprimível nos homens. Pode-se comprar online.


Flor do amor

2 comments







Fotografias de Bryon Paul McCartney

abrir pétalas com
a língua
explorar
seus cheiros e sabores

levar seu néctar
para além desse momento
para colmeias
perdidas no inconsciente

nos momentos em que
nada valer a pena
ou quando você não estiver
mais presente
minha língua
lamberá a lembrança
como lambemos aquela
maçã-do-amor

lembra-se?

Carlos Alberto Pessoa Rosa


Meia hora

3 comments



- O que é que te põe pouco à vontade? Diz-me. Preferias outro?
- Não. Estou a pensar no meu marido.
- Ah!
- Com ele não tenho orgasmos. Fode-me, sinto-me zangada.
- Mas é o teu marido. Devias fingir. Como uma puta.
- Sim. Durante meia hora.

Eva Luna


Cubembom

4 comments



Este gajo tem um traseiro tão bom que devia estar de frente.

Dedicado à Gotinha


De facto

2 comments


Foto de Bettina Rheims

- A minha mãe ensinou-me a nunca me deitar com a cona exposta.
- E as pernas sobre os ombros de um homem?
- Nunca me disse isso. Não penso que ela imaginasse que eu alguma vez fizesse isso.
- Também não tens que foder a pensar na tua mãe.
- Parece-me uma boa ideia.

Eva Luna


Constança

0 comments


Foto de Rayce Conway

O toque seco das palmas das suas mãos foi das coisas que mais fascinaram Constança quando conheceu Henrique naquelas férias, ela na praia a passar duas semanas, ele ali perto, escavando numa área de prováveis vestígios romanos. Ele seguia arqueologia, ela andava na Faculdade de Letras e escrevia poesia.
Não beberam filtros de amor como Tristão e Isolda, mas desejam-se logo, tumultuadamente.
Constança ficara presa de forma irremediável ao ar sombrio de Henrique, à sua sexualidade transbordante, à perversidade do seu sorriso que nunca lhe contaminava os olhos verde-lago, mergulhados nas trevas de enormes pestanas negras que lhe ensombravam a cara de malares um tudo-nada salientes e magra como o corpo de ancas estreitas, por onde gostava de passar os dedos e a língua, lambendo.
Lambendo primeiro as ancas a direito, coladas aos ossos, e em seguida as virilhas com o sabor ácido de um fruto muito maduro mas ácido. Depois os testículos grandes e subidos sobre um pénis moreno, macio, enorme, que a obcecava.
Passaram dias na cama, em cima do tapete do quarto alugado, em cima das cadeiras e das mesas onde deixavam um rasto de esperma, humidades e suores. Só saíam à noite para comerem depressa um refeição com doces e molhos, que devoravam cheios de fome um do outro.
Conduzia-lhe os dedos através do prazer que sentia, os lábios, subindo devagar pelo corpo e pelos orgasmos, tentando ter acesso a uma fortaleza da qual-sabia-nunca mais poder sair. Ficaria do lado das trevas, do negrume de si própria, tacteando por dentro dos seus sentidos e pulsões mais escondidas, que sempre conseguira calar e que desde que conhecera Henrique se ergueram de onde estavam tapadas e pardas.
E toda ela se revolvia em gozo, em carne viva, exposta. Pelo sítio mesmo onde haveria de se perder.

[…]

Maria Teresa Horta
excerto de "A paixão segundo Constança H." , Círculo de Leitores, Lisboa, 1994


Após o banho, nua

0 comments



Após o banho, nua
ainda, o corpo húmido
ao meu encontro, visão,
relembro, cálido êxtase,
os seios entrevistos
no decote frouxo, agora, nua,
toalha molhando-se, ressurgem
após o banho,
fremindo, suave embalo, avidez
de língua e mãos, nua, vens,
perfume, sulcos na pele,
ansiada espera, curvas, a entrega
ao meu olhar, bocas, rosa
túmida, pétala, sucção, espuma,
resplandeces para mim, nua,
após o banho.

Fernando Py


Enchapelada

0 comments



Boy George, vocalista do desaparecido Culture Club,
na sua chegada aos Brit Awards em Londres.

Chiquíssima!!


Meu dono

1 comments


Foto de Jürgen Kirchhoff

de ti nada digo
apenas do meu corpo tangível
corola ou tear
das tuas mãos dulcíssimas
:
da tua origem não sei
apenas o que buscas
na olorosa fenda
jubilante e trémula
:
conto do teu silêncio
suspenso e transparente
desenlace lácteo
:
falo da minha boca
visita do teu corpo
de minha pertença
meu dono
meu homem
:
Eva Luna


Amigas

2 comments



- Estás a tremer. Estás doente?
- Estou excitada e um pouco envergonhada.
- Nunca te tinham masturbado?
- Sinceramente, juro-te que é verdade. Nunca.
- Coitada!

Eva Luna


Sem título

1 comments


Foto de Joe Gantz

Tortura
que fura
te costura
e te prega
na refrega
dos corpos ausentes.

O'SANJI em Plan(o)Alto


XXL

3 comments



Erotismo com quinze séculos de antiguidade:

Uma jovem observa uma figura representativa da antiga cultura Colima do México que se expõe no Centro de Arte de Colónia (Alemanha.

Diz-se que a menina, no dia seguinte, se divorciou!


Dúvida

0 comments



Se Michelangelo ("Miguel Angelo") di Lodovico Buonarroti Simoni
tivesse conhecido Matt Damon, a estátua de David seria a mesma?


Ai os homens!

0 comments



Homens sobrevalorizam o número de parceiras sexuais

Uma pesquisa da Universidade de Michigan divulgada nesta segunda-feira indica que os homens sobrevalorizam o número de parceiras sexuais. De acordo com o estudo, que explica por que os homens dão números tão diferentes quando interrogados sobre a sua vida amorosa, as mulheres contam o número de parceiros sexuais um a um, e os homens contam por aproximação.

O psicólogo Norman Brown, pesquisador convidado do Instituto de Pesquisa Social da Universidade, desenvolveu vários estudos sobre o tema. Os inquéritos sobre as experiências sexuais mostram, habitualmente, uma diferença notável nos números que dão os homens e as mulheres sobre os parceiros que tiveram.

Nas pesquisas, em geral os homens confessam de duas a quatro vezes mais parceiros sexuais que as mulheres. Uma possível explicação desta divergência é que os homens tendem a exagerar a experiência para beneficiar a sua reputação sexual, e as mulheres optam por diminuir o que dizem porque isso protege a sua imagem.

Mas Brown considera que a maioria dos homens e das mulheres não mente de propósito sobre seu passado sexual, mas fazem a conta de forma diferente:
:
"O método das mulheres baseia-se na enumeração", afirma o psicólogo. Elas "têm a tendência de dizer - certamente que sei" (o número de seus companheiros sexuais).

Por outro lado, os homens têm o "dobro das possibilidades de utilizar apenas uma aproximação para responder à pergunta", acrescentou. "Dizem: vinte, trinta. A aproximação é uma estratégia que produz uma supervalorização".


O Prazer de Amar

2 comments



Chegou o momento em que te desejei fisicamente.

Sem aviso, coloquei a língua de fora e fi-la deslizar ao longo da haste suave e macia que estava levemente curvada, da pele esticada.

Nesta altura, eu também já estava a tremer e com dificuldade em respirar.
:
Adaptado (embora plagiado) por Eva Luna


Dia dos amantes

0 comments



The Kiss of the Sphinx, 1895
Óleo de Franz Von Stuck


Jogo

0 comments



Enviei-lhe hoje, por correio azul, uma fotografia com um nu explícito de mim mesma - sem qualquer nota, sem remetente. Apenas um pingo do perfume que o excita. Ele perceberá. Amanhã à tarde vou ser elogiada penetrantemente.

Eva Luna


Voyeurismo

0 comments


Olhos de Clive Owen

Te olho
me molho

:
Leila Míccolis


Resíduo

8 comments


Foto de Uwe Kempen

- Hoje estou muito mal disposta. Encontrei o meu ex-marido.
- Queres que me vá embora?
- Não.
- Parece-me que estás à beira das lágrimas.
- Estou. Sinto-me como se não tivesse cona.
- Ah!

Eva Luna


As mulheres que perdi

2 comments


Desenho de Gustav Klimt

Perdi Alice porque ela me achou baixo. Perdi Lisa porque minha língua mancava na infância. Perdi Rita porque era seu melhor amigo. Perdi Gisele para meu melhor amigo. Perdi Renata porque ela mudou de estado. Perdi Ivana porque escrevi cartas de amor e não tive coragem de mandar. Perdi Maria por um apelido. Perdi Fátima quando pichei o muro de sua residência. Perdi Caroline porque fumava. Perdi Sandra ao perder seu livro de Português. Perdi Débora ao pedir cola. Perdi Rosa pela asma. Perdi Cristina pela catapora. Perdi Rose porque troquei de escola. Perdi Josélia por não aprender inglês. Perdi Viviane porque não jogava vôlei. Perdi Marisa na parada de ônibus. Perdi Carla ao buscar cerveja. Perdi Cristina quando demorei a dançar. Perdi Cristiane por um surfista na praia. Perdi Estela no fim de uma festa. Perdi Bruna ao atravessar a rua. Perdi Luciana por não telefonar. Perdi Laura ao me casar. Perdi Ângela por ela estar casada. Perdi Márcia por não insistir. Perdi Mariana por insistir. Perdi Sonia na fila do banco. Perdi Marta por não puxar conversa. Perdi Cíntia ao ir ao banheiro. Perdi Lisiane por sono. Perdi Lisa por ressaca. Perdi Manuela pelo mau humor de manhã. Perdi Amanda por insegurança. Perdi Janete por excesso de confiança. Perdi Bárbara em um filme polonês. Perdi Bianca pela falta de cabelos. Perdi Fernanda porque ela não gostava de barba. Perdi Janete pelo jogo de futebol. Perdi Dulce por ciúme. Perdi Teresa por duvidar dela. Perdi Gabriela por criticar suas músicas. Perdi Fabrícia pelo nome parecido. Perdi Paula ao odiar seus pais. Perdi Deise para meu irmão mais velho. Perdi Cátia para meu irmão caçula. Perdi Denise ao não segurar sua mão. Perdi Ester pelo atraso. Perdi Flávia porque ela queria ter filhos. Perdi Tamisa porque eu queria ter filhos. Perdi Tânia quando ela trocou os graus de seus óculos. Perdi Joana para sair com os amigos. Perdi Milena por fazer pouco caso de sua dor. Perdi Geórgia ao comer de boca aberta. Perdi Regina pela solidão. Perdi Vitória por fofoca. Perdi Jordana por não suportar discutir o relacionamento. Perdi Lídia porque ficava em casa. Perdi Beatriz porque não voltava para casa. Perdi Elisa porque envelheci a fé.

Perdi mulheres pelas dúvidas que recebi de minha mãe e deixei para resolver depois. Perdi mulheres pela teimosia em antecipar as falas. Perdi mulheres por acreditar que eu amava o suficiente. Nunca é suficiente. Perdi mulheres ao mentir que não trairia. Perdi mulheres para me fazer de vítima. Perdi mulheres porque em algum momento não estava em mim e coloquei travesseiros debaixo da coberta e fingi dormir enquanto fugia.

Perdi mulheres por descuido. O homem é um descuido.

Fabrício Carpinejar




O segredo

0 comments


Namorados, óleo do pintor naif brasileiro Helenos

Algumas pessoas perguntam o segredo do meu casamento. Nós damos-nos ao luxo de ir a um bom restaurante duas vezes por semana. Comida à luz da vela, jantar, música de fundo e dança. Ele vai às quartas e eu às sextas.


Brokeback Mountain

1 comments


Morta de cansaço

0 comments

Fiz esta tatuagem em Ibiza, no Verão de 2002.
Estava apaixonada e queria perpetuar o amor.
Agora, sabão não resolve :-(
:


Quero ficar no teu corpo feito tatuagem
Que é pra te dar coragem pra seguir viagem quando a noite vem
E também pra me perpetuar em tua escrava
Que você pega, esfrega, nega
Mas não lava

Quero brincar no teu corpo feito bailarina
Que logo se alucina, salta e te ilumina quando a noite vem
E nos músculos exaustos do teu braço
Repousar frouxa, murcha, farta, morta de cansaço

Quero pesar feito cruz nas tuas costas
Que te retalha em postas mas no fundo gostas quando a noite vem
Quero ser a cicatriz risonha e corrosiva
Marca a frio, a ferro e fogo
Em carne viva

Corações de mãe, arpões, sereias e serpentes
Que te rabisca o corpo todo
Mas não sentes

Elis Regina cantava este poema de Chico Buarque


Pirosas!!!

0 comments



Já não aguento as gajas do meu bureau a falar dos Il Divo.
Pirosas!!!
:
Cada país tem os "tops" que merece.
Desta vez, e há várias semanas, é este Esquadrão G tipo "pote de doce de abóbora".
E andam estas gajas a coçar a rata com estas quatro pimbas aves canoras!!
Antes o Tony Carreira. Pelo menos é produto nacional.


Caravaggio

0 comments


S. João Baptista (Jovem com carneiro)
Caravaggio - 1600


Pinta-me. amado meu. como te vou pedir.

Faz com que a cabeleira fique brilhante, castanha com reflexos dourados e deixa caracóis caírem livremente em caprichosa desordem.

Sob a fronte delicada e fresca desenha pestanas mais delicadas do que as escamas azuladas dos dragões.

Que o olho negro lance chispas de luz, mas com uma mescla de doçura; que refulja e que acaricie a fim de, ao mesmo tempo, inspirar temor e renovar a esperança.

Dá às faces a cor rosa e aveludada dos pêssegos e se a tua arte a isso conseguir resistir, acrecenta-lhe um rubor púdico.

Quanto aos lábios, na verdade não sei bem de que maneira os deverás pintar. Delicados, cheios de persuasão. Numa palavra, faz com que a tinta muda ganhe voz.

Que a cabeça repouse sobre um pescoço de marfim mais perfeito que o de Adónis. Que o peito e as mãos sejam de Hermes, as coxas de Pólux e o ventre de Dionísio.

E sobre essas encantadoras coxas, sobre essas coxas incendiárias, pinta um membro delicado que aspira já ao amor.

Que pena que a tua arte ciumenta não permita mostrar as costas! É o que há de mais perfeito! Quanto aos pés, que te poderei dizer? Para fazer o retrato de Bato, toma como modelo este Apolo. E se um dia vieres a Sarnos, pintarás Apolo segundo Bato.

Anónimo (Século VI)


Um longo silêncio

1 comments


Foto de Nan Goldin

demasiado tarde
para o amor único
lugar de júbilo
:
demasiado tarde
para a simetria
enxertia mútua
:
demasiado tarde
para a tessitura
do afago amável
:
um longo silêncio
a inexprimível distância
:
Eva Luna


O meu desktop

0 comments



Não fui ver o filme nem irei. Não li o livro nem lerei.
Não sou dessas.
:
Contudo, este é o meu desktop actual.
Sempre me senti uma gueisha.
:
Sei isso porque quando me apalpam a mama direita, querem apalpar também a esquerda.


About me

Last posts

Archives

Amores